China intensifica sua repressão aos mineiros de Bitcoin e fecha sites

Representações da criptomoeda Bitcoin são vistas nesta ilustração de imagem tirada em 7 de junho de 2021. REUTERS/Edgar Su/Ilustração

 

Na sexta-feira (18), a China retomou suas ações contra os mineiros de criptomoedas nacionais. Agora, a repressão se expandiu para a província de Sichuan, no sudoeste do país, e ordenou o fechamento de 26 projetos de mineração nos principais centros locais. De acordo com a Reuters, os mineiros estão considerando se mudar para outro local.

A ordem foi emitida pela Comissão Provincial de Desenvolvimento e Reforma de Sichuan e pelo Departamento Provincial de Energia de Sichuan. Esta é uma das medidas tomadas pelo estado para combater a mineração e comercialização de Bitcoins para controlar os riscos financeiros.

Nessas denúncias, é mencionado o uso de energia elétrica proveniente de fontes altamente poluentes, como o carvão. Por outro lado, os mineiros locais citaram o uso principal da energia hidrelétrica para fazer funcionar os computadores usados ​​no processo. De acordo com o documento, o fechamento das suspeitas de minas deve continuar até domingo (20).

Negócios fortes na China

Em entrevista à agência, o professor Winston Ma, da Escola de Direito da Universidade de Nova York, comentou o caso. Ele enfatizou que duas das quatro principais áreas de mineração da China – Mongólia Interior, Xinjiang, Yunnan e Sichuan – usam energia hidrelétrica, “enquanto as duas primeiras são baseadas no carvão”.

A China atualmente é responsável por mais da metade da produção global de Bitcoin. De acordo com dados da Universidade de Cambridge, Sichuan é a segunda maior província de mineração de criptomoedas do país.

Na notificação, as autoridades ordenaram que a Companhia Estatal de Energia Elétrica de Sichuan parasse de fornecer serviços aos locais descobertos e conduzisse inspeções.

Reuters

Deixe seu cometário